Lisbon Mummy Project (LMP)

Apr 01

Um projeto de sucesso, fruto da colaboração entre o MNA, o IMI e a Siemens, que permitiu revelações únicas.

Como Nasceu?

A partir de dois eixos distintos que mutuamente se desconheciam:

Em 2005 o bioarqueólogo e colaborador do MNA Álvaro Figueiredo baptizava o projecto ao publicar no "O Arqueólogo Português" (revista periódica do MNA) o artigo com o título "Lisbon Mummy Project", onde assinalava a necessidade de um estudo radiológico das múmias da colecção Egípcia do MNA, nunca antes realizado.

Nesse mesmo ano, o IMI inaugurava uma sua nova unidade (Av. República) em Lisboa, com condições técnicas e logísticas especialmente avançadas. A equipa do IMI-art passava a ter capacidade e condições ideais para realizar tal estudo. O seu desejo e disponibilidade foram apresentados em 2006 ao Diretor do MNA, Luís Raposo, com plena aceitação.

Naturalmente, estas duas vertentes originárias fundiram-se para o objetivo comum. A equipa alargou-se e, por uma profícua colaboração interdisciplinar, o projeto materializou-se e teve sucesso.

 

Participantes externos ao IMI-art:

egiptóloga Prof. Salima Ikram (American University in Cairo),

egiptólogo Prof. Luis Manuel de Araújo (Faculdade de Letras de Lisboa),

bioarqueólogo Dr. Álvaro Figueiredo (University College de Londres),

arqueólogo Dr. Luis Raposo (ex-Director do MNA).

 

Poster / 2008 – Manchester – CRE IX (Current Research in Egyptology)

 

Como se desenvolveu?

A primeira fase, em Abril de 2007, estudou apenas as múmias animais por ser operacionalmente bem mais simples, pelas pequenas dimensões das múmias.

Foram estudadas as sete múmias animais do MNA: um vaso cerâmico selado, duas múmias enfaixadas de aves e quatro múmias desenfaixadas de crocodilos (1 juvenil e 3 recém-nascidos).

Esta primeira fase serviu ainda para testar e aperfeiçoar protocolos e procedimentos para a investigação bem mais complexa das múmias humanas, realizada em Agosto de 2010.