O Sal: como reduzir o consumo de sal

Jul 26

Utilizado desde a antiguidade no processo de salga da comida e na conservação dos alimentos (carne e peixe), rapidamente se transformou num dos temperos mais utilizados, não só em Portugal, mas em todo o mundo.

O cloreto de sódio é um sal mineral, comumente conhecido por sal ou sal de cozinha.

Utilizado desde a antiguidade no processo de salga da comida e na conservação dos alimentos (carne e peixe), rapidamente se transformou num dos temperos mais utilizados, não só em Portugal, mas em todo o mundo.

É utilizado para realçar o sabor dos alimentos, bem como aumentar a sua durabilidade ao impedir o desenvolvimento de bactérias que degradam os alimentos e alteram as suas características organolépticas (sabor, odor, textura e cor).

Cada grama de sal contém 400mg de sódio na sua composição. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), a recomendação máxima de consumo de sódio é de 2g (equivalente a 5g de sal), para uma pessoa adulta, diariamente.

Consumido na medida certa, o sal tem um papel importante no funcionamento do nosso organismo. Não só é importante no controlo da pressão osmótica, ou seja, ajuda a manter o equilíbrio e a distribuição do líquido extracelular, mas também atua na condução de impulsos nervosos e na contracção muscular.

Contudo, e apesar das recomendações, estima-se que os adultos consomem diariamente quantidades de sal duas vezes superiores às recomendadas, e as crianças quatro vezes superiores às suas recomendações diárias (3g de sal).

Níveis elevados de sódio estão associados a uma maior pressão arterial (Hipertensão), ao aumento de doenças cardiovasculares como AVC, Enfarte Agudo do Miocárdio e Insuficiência Cardíaca e Insuficiência Renal.

Para facilitar a redução do consumo de sal diariamente, existem algumas medidas que pode adoptar:
- Evite o consumo de produtos de conversa e de produtos que passaram pelo processo de salga;
- Evite o consumo de produtos de charcutaria, snacks e produtos salgados (batatas fritas, bolachas, frutos secos torrados e salgados, etc.);
- Evite o consumo de refeições pré-confeccionadas e congeladas;
- Leia os rótulos dos alimentos no momento da compra, e compare com outras versões do mesmo produto (prefira as opções com menor teor de sal);
- Reduza a quantidade de sal adicionado às confeções, tanto no momento de confecção como no momento de consumo. Adicionalmente à redução do sal, utilize ervas aromáticas e especiarias para realçar o sabor natural dos alimentos. Esta redução gradual permite uma adaptação progressiva ao sabor dos alimentos.

Aplicando estes cuidados, a moderação do consumo diário de sal torna-se mais fácil de concretizar, reduzindo o risco de doenças cardiovasculares actualmente e nas gerações futuras.

Fontes:  Organização Mundial de Saúde, Sociedade Portuguesa de Hipertensão